terça-feira, 1 de setembro de 2015

Crítica: Shaun, o Carneiro


Diretamente do estúdio britânico Aardman Animation, que produz maravilhas tanto em stop motion: A Fuga das Galinhas (Chicken Run, 2000); Wallace & Gromit: A Batalha dos Vegetais (Wallace & Gromit: The Curse of the Were-Rabbit, 2006); Piratas Pirados (The Pirates! In an Adventure with Scientists, 2012), quanto em CGI: Por Água Abaixo (Flushed Away, 2006); Operação Presente (Arthur Christmas, 2011)..., nos chega mais uma pérola: Shaun, O Carneiro (Shaun the Sheep Movie, 2015).


Com roteiro e direção de Mark Burton e Richard Starzak, a comédia animada traz para a tela grande uma longa aventura, com muita ação e humor inglês, nonsense e gags impagáveis, do carneiro Shaun e seus amigos da fazenda na Cidade Grande! Bom, eles não estão exatamente passando férias na cidade, é só um, digamos, contratempo. Isso se deu porque o espirituoso Shaun, cansado da rotina (acordar, comer, tosar, dormir), resolveu bolar um plano para que ele e os outros carneiros tivessem um bom dia de folga (da rotina), ali mesmo na fazenda. O plano era simples: distrair o cão pastor Bitzer e o Fazendeiro e passar o dia assistindo tv. Porém, um incidente acabou levando o Fazendeiro e o Cão para a desconhecida Cidade Grande. Aí, preocupados com o destino dos dois, Shaun e o rebanho saíram em seu encalço e, na cidade, além de procurar pelos amigos perdidos, vão ter que fugir do abominável Trumper, um sujeito nada amigável que prende todo e qualquer animal que encontrar pelas ruas.... Isso é tudo que precisa saber pra se divertir e se surpreender com essa animação inventiva e na medida para toda a família (mesmo!).


Baseado na hilária série homônima, Shaun, o Carneiro não tem legendas e (felizmente) nem precisa de dublagens insuportáveis, pois, excetuando os sons naturais dos animais, não tem diálogos. Com enredo inteligente, personagens cativantes e expressivos, referências à cultura pop britânica e ao cinema, a história deliciosa e muito bem humorada, flui que é uma maravilha. Quando a gente se dá conta..., acabou! Ah, quanto às referências, não se preocupe, são apenas detalhes e pouco importa se as conhece ou não, vai rir do mesmo jeito. Uma dica: nem pense em contar carneirinhos..., porque não vai conseguir! Ou será que vai? Duvido!


Shaun, o Carneiro foi realizado em stop motion, com “massinha”, técnica que consagrou o Estúdio Aardman e dá charme à série de tv, cujo protagonista, Shaun, ganhou notoriedade ao estrelar o premiado (com Oscar) curta-metragem Wallace & Gromit: Tosa Completa (Wallace & Gromit: A Close Shave, 1995).  Na tela grande, além dos velhos conhecidos carneiros: Shaun, os Gêmeos, Timmy, a Mãe do Timmy, Shirley, Nuts e Hazel; do cão Bitzer, do Fazendeiro e dos Porcos delinquentes, são apresentados dois novos personagens: a adorável cadela de rua Slip e o obcecado guarda (vilão) de animais Trumper. Há, ainda, uma meia dúzia de (animais) coadjuvantes que roubam a cena numa prisão e uma celebridade humana (histérica) muito engraçada! É difícil destacar alguma sequência ou gag, já que a próxima é sempre melhor e (você vai ver) o ciclo cômico parece não ter fim! 


Enfim, se você, feito eu, é apaixonado (a) pela série televisiva Shaun, o Carneiro, então, com certeza, vai amar ver o carismático Shaun e seus parceiros de aventuras e ação nesta comédia criativa e lúdica que, mesmo na Cidade Grande, não perde o seu ar bucólico. Se não souber quem é Shaun e ou nunca viu o seriado que passava (?) na TV Cultura, vai se tornar fã após a sessão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...